sexta-feira, 14 de março de 2008

Sodoma & Gomorra - By Véio China -


-Ah minha Sodominha! Estou com vontade de trepar novamente. - Disse, totalmente excitado e demonstrando certa ansiedade

Sodoma o olhava, enquanto sua língua profana passeava nos lábios grossos e pervertidos. Era a própria personificação da volúpia.

-Ahhhhhhhh! O meu Gomorrinha quer me foder, outra vez, é? - Zombava divertida.

-Sinceramente, minha deusa? Tô doido pra gozar dentro, de novo! - Confirmou suplicante, com as pupilas parecendo escapar-lhe dos olhos.

Essas duas figuras, lendárias, velhas conhecidos dos anais da história, apenas aguardavam que tudo se acabasse. Gomorra havia alertado que os seus dias estavam contados. E dessa forma, diante do quadro e sem saída, nada havia a se fazer que não fosse foder, foder muito e intensamente.

-Vem Sodominha! Vem minha rainha! Vem fazer uma chupetinha pro seu Gomorrinha, vem!

-Caracas, Gomorra! Nós aqui, prontos a sermos soterrados à qualquer momento, e você nessa tranqüilidade , apenas desejando uma chupada? Não há nada o que possamos fazer a nao ser trepar, trepar? - Questionou em olhos suplicantes e quase nenhuma resignação.

As preocupações de Sodoma se justificavam,já que a qualquer momento despencaria, dos céus, bolas de fogo e de enxofre, e isso os aniquilaria de vez. Mediante à falta de solução, ambos permaneceram calados. O desejo de Gomorra cedia às premonições. Sim, ele, além de pervertido, era fadado às premonições, que o faziam constantemente antecipar-se ao futuro. Repentinamente, já em transe, não mais pousava os olhos naquele libidinoso quarteto de pernas e seios. Então, vislumbrou o futuro.
E o futuro lhe veio límpido e com imagens bem definidas. Viu o muito de sofrimento e desgraças reservadas à espécie humana. E mais do que isso; vislumbrou o Todo Poderoso, pensativo, sapateando o chão com o cajado, solenemente bocejando em sua poltrona. Apesar do bocejo, o ar do Senhor se mantinha grave. Então levantou uma das sobrancelhas, e austeramente sentenciou:

-Bom! É Sexo ? É disso que precisam? Se for, tudo bem! A partir de agora, farão dele o esteio da vossa própria destruição!

A sentença de Deus retumbava em sua cabeça. Como num truque de mágica, Gomorra foi arremetido para 1470 DC; haveria de presenciar a profetização do Senhor

E foi com aqueles olhos castanhos, que o fogo e o enxofre haveriam de comer, que ele presenciou corpos sendo jogados em uma fogueira descomunal. E Elas dizimavam almas que, ardidas em chamas, obrigavam a Igreja punir os demônios que habitavam entre os fiéis. Achava ela que a loucura havia tomado os corpos daqueles pobres miseráveis, torrados aos milhares, exterminadas por algo que a ciência e a Igreja desconheciam; Sífilis.

Gomorra se debatia diante da visão, e num novo transe, viajou por longos 500 anos, até presenciar o progresso da ciência, que se confrontava com os desígnios celestiais. E foi nessa árdua batalha, Ciência x Deus, que foi descoberta a cura para o Sífilis. E foi um jovem cientista, Fleming, que ao acaso encontrou num antibiótico denominado por penicilina, o medicamento redentor. Cura encontrada, a humanidade voltava a trepar como nunca, para o amargo desgosto do Pai Celestial.

Saído do transe, Gomorra trazia um sorriso maquiavélico no rosto; o homem havia vencido Deus. E, se o homem vencera, ela também poderia, afinal, era homem. Repentinamente, sem que se desse conta, Gomorra tem outra de suas visões. Desta feita, a premonição era devastadora; o Todo Poderoso, diante da luxúria e insana perversão dos anos 80, faz vistas grossas para a criação do mais avassalador de todos os vírus: o HIV.

E Gomorra, aterrorizado, assistiu todos os primeiros passos da doença. Ainda incrédulo, testemunhou a devastação que ela provocava, tornando impotentes e inoperantes, física e psicologicamente todos aqueles que desgraçadamente fossem infectados por ela. Mais uma vez o homem e a ciência pretenderam desafiar Deus; um coquetel medicamentoso que aumentava em muito a sobre vida dos infectados. Gomorra, perplexo, olhava para Deus e o via impassível, indiferente diante desse novo embate.

E antes mesmo que Gomorra voltasse para a realidade, sua vida e seu destino de morte, Deus observou-o, e levantando-se da poltrona o chamou num "psiuuuuuu". Gomorra cravou os olhos nos olhos do Senhor, e percebeu que Ele abriu o paletó e fez surgir 9.845.329.000 "curingas", dispostos milimétricamente no bolso do colete.

E mais ainda, cada curinga correspondia a uma nova chance para que os homens encontrassem saídas para os problemas que eles mesmos criavam.

E foi assim, desperto, voltando ao seu mundo e para Sodoma, que, Gomorra riu o seu riso derrotado. Ela, ardentemente o aguardava, sorriso insinuante e pernas deliciosamente abertas. Gomorra, excitado, a penetrou fundo e com força até alcançarem juntos o orgasmo. No mesmo instante, bolas de fogo e o cheiro do enxofre sufocavam a terra, devastadores, transformando a existência numa única e ardente imensidão vermelha. Para Sodoma e Gomorra não houve tempo para nada, nem de se limparem. Estava tudo sacramentado.
O homem, jamais venceria Deus.

2 comentários:

MP3 e MP4 disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Multifuncional disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.